samedi, 24 juin 2017
 

BLOCO DEMOCRÁTICO EXIGE INVESTIGAÇÃO PROFUNDA PARA O RAPTO DE MÓNICA ALMEIDA

O Bloco Democrático (BD) saúda a coragem de cidadania de Mónica Almeida que após a situação de rapto teve o sangue frio para preparar uma queixa. Na sequência da sua queixa apresentada fez movimentar rápidamente - por pressão - as instituições que deveriam velar pela sua segurança.

O BD, endereça a Mónica Almeida, sua família e amigos, a mais sincera solidariedade pelos momentos que viveu recentemente.

O BD endereça também ao Povo Angolano um especial agradecimento por se ter movimentando fortemente em apoio a Mónica Almeida. Uma onda de solidariedade que faz Angola mais forte.

Não pode o BD silenciar-se ao constatar este quadro de perfeita violação dos direitos humanos e de tentativa de causar o medo no seio familiar e da sociedade, que Mónica Almeida e a sua família vivenciaram. Quem assim tentou, pode ter a certeza que o Povo Angolano está cansado dessas manobras ! É hora de parar com as manobras de medo, Angola quer liberdade, modernidade e cidadania, para continuar a crescer e se desenvolver.

Mas na mesma linha em que Mónica Almeida avançou com queixa pelo acontecimento, também o Bloco Democrático enquanto partido político, quer esclarecimentos, investigações, autores e culpados. A culpa não pode morrer solteira, uma cidadã não pode ser alvo deste tipo de situações numa acção tão bem organizada ! Não podemos admitir !

Para desespero dos seus familiares directos e amigos, a Jovem Mãe desaparece por várias horas, ficando sem qualquer possibilidade de contactar ou ser contactada, por bloqueio feito com tecnologia que certamente não entrou no país numa mala de um vulgo cidadão e a resposta a todo este cenário é que ninguém conhece, ninguém viu, ninguém sabe nada, não existem na base de dados… não, não pode ser assim, o Bloco Democrático exige uma investigação que traga a público responsáveis e os autores !

Mas é caso para perguntar, estamos assim, num país onde existem pessoas organizadas, com equipamento sofisticado que só custuma ser vendido de país para país, com viaturas que se parecem ou são iguais a viaturas utilizadas pelas estruturas de polícia e segurança do Estado Angolano, algumas sem matrícula, outras com matriculas de outras viaturas, vidros ilegalmente fumados, usando nomes de agentes da polícia nacional falecidos, e as instituições não sabem nada ?

Com toda a capacidade que se tem visto em Angola para perseguir quem tem opinião diferente, como é que agora se diz que não se sabe de nada ? O Povo tem todo o direito de duvidar. O Bloco Democrático exige imediatas investigações aprofundadas, apresentação de autores e dos responsáveis a público ! Aquilo que todos pensamos é que há mão do regime, assim pensa o povo, e nisso estamos do lado do esposo Luaty Beirão que expressou a suspeita

Ajam senhores, ajam para encontrar as viaturas, os integrantes e autores deste rapto, ajam com a vossa devida perícia e rapidez pois a sociedade não vai esquecer e espera respostas pois ninguém quer pensar que a nossa Polícia Nacional não está em controlo da situação, a vossa diligência será apreciada !

Basta de perseguições e medo, basta de violações dos direitos humanos !

LIBERDADE, MODERNIDADE E CIDADANIA

Luanda, 5 de Agosto 2016

 
A propos de Afriques en Lutte

Afriques en lutte est un collectif de militant(e)s anticapitalistes membres ou non de plusieurs organisations politiques. Ce site présente les articles parus dans le bulletin (envoi gratuit sur simple demande) ou d’autres publications amies. Notre objectif est de diffuser, à partir d’un point de vue militant, un maximum d’informations (politiques, économiques, sociales et culturelles) sur le continent africain et sa diaspora.

Si les articles présents sur ce site reflètent une démarche volontairement ouverte et pluraliste, leurs contenus n’engagent, bien évidemment, que leurs auteur-e-s. Tous les commentaires sont bienvenus. La rédaction se réserve toutefois le droit de les modérer : les propos injurieux, racistes, sexistes, homophobes, diffamatoires, à caractère pornographique, pédophile, ou contenant des incitations à la haine ne seront pas publiés.

Pour nous contacter : afriquesenlutte@gmail.com

Thèmes